I feel pretty… not!

Na semana passada a minha amiga Mafalda disse-me, “Ana, tens de ver um filme que tem tudo a ver contigo”, fiquei curiosa e vi-o ontem. Deixou-me a pensar profundamente no quão danificada está a autoestima das mulheres. Mas vamos por partes, estou a falar do filme I Feel Pretty, com a Amy Schumer. Não quero ser spoiler, até porque recomendo a todas verem este filme, mas conta a história de Renee Barrett, uma jovem que tem um sonho: ser bonita! Um dia ela sofre um acidente e quando acorda e se vê ao espelho acha-se uma mulher linda, ainda que fisicamente nada tenha mudado. E aí começa a aventura. Fartamo-nos de rir com as loucuras dela e são quase duas horas muito bem passadas.

Mas é a mensagem do filme que dá que pensar. A verdade é que vivemos aprisionadas numa tentativa louca de sermos mais bonitas, porque para nós “ser bonita” está baseado em estereótipos limitativos, e vazios de realidade, que nos roubam a oportunidade de encontrarmos a nossa beleza individual e de vivermos uma vida (que só nós a podemos viver) em busca de algo tão vazio e perecível como a beleza exterior. Sabem que este é um tema repetente para mim, pois já falei bastante sobre isso aqui, e em várias ocasiões tive oportunidade de fazer ouvir a minha voz transmiti a ideia que beleza é um conceito que foi alterado para um padrão limitativo e irreal, profundamente injusto para as mulheres. Os nossos padrões de beleza estão assentes em rostos manipulados por Photoshop e cirurgias plásticas (nada contra, mas é verdade). Que comparação justa podemos fazer entre um rosto real e um rosto retocado? Que justiça há em compararmo-nos a fotos retocadas digitalmente? É insano aceitar que nos deixamos aprisionar porque algo tão injusto quanto isto. Tantas vozes que facilmente enumeram injustiças neste mundo e se esquecem tantas de vezes deste jugo desigual que as mulheres vivem diariamente.

kyle-loftus-596308-unsplash

Photo by Kyle Loftus on Unsplash

Frases como “ama-te como és” e “tu és linda” podem ser repetidas inúmeras vezes, mas enquanto não acreditarmos verdadeiramente e agirmos nesse sentido, não conseguimos fazer a diferença. Eu própria, que defendo estas ideias há anos, e tantas e tantas vezes me autodestruo com comentários depreciativos à minha imagem. Ainda que eu diga que estou a brincar, a verdade é que as palavras têm poder, e em momentos difíceis essas ideias ficam-nos gravadas na mente. Quantas vezes damos por nós a olhar para outras mulheres, observando cada pormenor e tantas vezes nos sentirmos aliviadas (ou consoladas) porque vemos uma barriguinha saliente, ou rugas, ou umas estrias marotas a subir pelas costas de outras mulheres? É aquele consolo básico de vermos que também são humanas! Não devia ser assim. Não devíamos estar naturalmente atentas a fenómenos como celulite, rugas, gorduras, marcas ou manchas porque isto é normal!

Se queremos mesmo gerar mudança temos um longo caminho pela frente, porque há demasiadas ideias e imagens cravadas na nossa mente e possivelmente levará gerações até nos libertamos disto. Mas a mudança tem de começar por algum lado: por nós em primeiro lugar, aceitando-nos como somos, e decidindo viver da melhor forma possível a nossa vida. Sorrindo para cada diferença, “banhita” ou pneu que tivermos, aceitando que não competimos com ninguém e que o nosso único foco é sermos a nossa melhor versão possível, custe o que custar.

Para as empresas, por favor, acabem com imagem de marca irreais. E atenção que as mulheres reais não são apenas as mais gordinhas! São também muito magras, baixas ou demasiado altas, as que têm gordura localizada, cicatrizes, estrias, manchas, rugas, e poderia continuar por aqui fora. Mulheres reais somos todas nós, portanto sejam abrangentes, e não considerem apenas um ou dois exemplos. Sejam reais como nós somos. Procurem dar resposta às nossas necessidades, e encontrem a beleza de sermos tão diferentes umas das outras. Não nos façam sentir mal, vendendo uma imagem que nunca poderíamos alcançar. Eu até compreendo aquela ideia de “perfeição”, mas isso resulta em robots, não em seres humanos! Querem ser perfeitos? Criem produtos e serviços para nos fazer sorrir, pois não há nada mais perfeito que o sorriso humano.

Ao mundo em geral. Cessem a crítica fácil e barata. Guardem para vocês apreciações que facilmente podem destruir uma pessoa. Mulheres, hoje em dia, somos nós as mais violentas no que toca a destruirmo-nos umas às outras, quando supostamente deveríamos entender-nos melhor que ninguém. Criticamos uma mulher que faz, que diz, que pensa, apenas porque sim. Perdemos a noção do certo e errado e fazemos estes ataques quase gratuitamente, como busca por um conforto natural. Chega.

blog_signature

 

 

Anúncios

I have a lot of sheet (masks) in my life!

A febre continua e neste momento as sheet mask – máscaras em tecido – dão para tudo: rosto, olhos, lábios, pés e mãos. Um mini SPA que nos ajuda a cuidar de nós todos os dias. Ele há máscaras de limpeza, de hidratação, revitalização, nutrição (e mais tudo e alguma coisa) e são super fáceis de utilizar, até para uma leiga no tema.

Encontram-se em todo o lado desde o supermercado à perfumaria, e ainda passando pelas parafarmácias. O importante é sabermos o que queremos comprar. Não sabem por onde começar? O meu conselho é começarem pelo básico e comprarem uma mais genérica, como a máscara de hidratação, e seguirem as instruções. Além de terem um efeito imediato na pele, são um ótimo complemento à nossa rotina de rosto. São frescas, cheirosas e super relaxantes. Vocês vão adorar!

E vocês perguntam: como assim tens estas máscaras todas em casa? Sim tenho! Guilty pleasure, admito. Mas a verdade é que estive na festa de aniversário dos 20 anos da Sephora e ainda recebi presentes (e eles é que faziam anos, eheh) e um dos presentes foi uma caixa recheada destas máscaras. E já experimentei algumas que amei: máscara de pés de lavanda (é incrível) e a de olhos de cucumber é ótima para os dias que nos deitamos tarde e dormimos pouco. Mas vou experimentar mais e vou partilhar de certeza.

blog_signature

Passatempo de Primavera (que nunca mais chega!!!)

Não pára de chover porquê? 😩

Da próxima vez que desejarmos chuva devemos fazê-lo com um pouco menos de veemência, porque estamos em Junho e continua a chover!!! Resultou demasiado bem. Chove há quase 6 meses. Não conseguimos ir à praia, não conseguimos passar finais de tarde em esplanadas, os nossos sunsets são debaixo de chuva, tal como o último que fiz. Estamos a 15 dias de começar o verão e a primavera passou-nos ao lado (fim de desabafo).

Mas estou decidida a inverter isto, e por isso pensei num passatempo para vocês. Uma das coisas que nos faz sentir o verão (mesmo que ele não esteja por cá) são os aromas. Há cheiros que associamos a verão e mesmo que ele não esteja em força, já nos fazem sentir mais próximos.

Por isso criei um passatempo para vocês. Tenho os dois novos perfumes de verão da Equivalenza para vos oferecer, e o que terão de fazer? Simples: comentar este post dizendo o que mais gostam no verão. Basicamente escrevem o que quiserem, tão simples como isto. Têm até dia 16 de junho às 23h59.

Os comentários serão numerados e selecionados 2 vencedores no dia 17 de junho.

Vamos a isso?

blog_signature

Vamos abrir um SPA… em casa?

Todas nós gostaríamos ter a oportunidade de ir a um SPA semanalmente e cuidar de nós. Mas infelizmente nem sempre é possível, por questões de tempo e talvez a grande maioria das vezes porque não temos dinheiro suficiente que nos permita ser tão assíduas nestes “Olímpos do Relaxamento” quanto gostaríamos.

sarah-gray-351935-unsplash

Photo by Sarah Gray on Unsplash

A verdade é que vivemos a correr, contanto cada cêntimo e relaxamento e bem-estar quase nem aparecem no nosso Dicionário-Vocabular-Feminino.

Mas hoje queria mostrar-vos que é possível criarem o vosso SPA em casa, bastando vontade, bom gosto e alguns produtos que farão toda a diferença.

AMBIENTE

O ambiente é quase tudo num SPA: a luz, a temperatura, o aroma e a música. Não podem falhar.

A luz deve estar amena, e se não tiverem como a controlar em vossa casa usem candeeiros ou velas para reduzir a luz e criar um ambiente mais relaxante. Se optarem por velas estarão a fazer um dois-em-um pois criarão também um aroma agradável que vos ajudará a relaxar. Opto sempre por aromas quentes, mas normalmente os aromas de lavanda são ótimos para relaxar.

Continuando na aromatização, além das velas, existem também os novos ambientadores com óleos essenciais. Os óleos essenciais têm imensas potencialidades e benefícios para o nosso organismo e cheiram maravilhosamente. Os meus favoritos são: lavanda (alfazema é a mesma coisa), neroli e eucalipto. São maravilhosos e vão deixar-vos muito relaxadas.

A temperatura deve ser equilibrada. Nem demasiado quente, nem demasiada fria. Para equilibrarem a temperatura usem um aquecedor de preferência a óleo, que manterá a temperatura estável mais tempo.

Por fim, a música. Deve ser relaxante, calma e, se forem como eu vão preferir instrumentais apenas. Vocês podem escolher uma playlist que gostem e o Spotify é a melhor fonte que existe, com uma oferta ilimitada quase. A minha playlist favorita é a PEACE, e vocês vão adorar!

OS PRODUTOS

Os produtos são parte essencial deste processo. Não precisam de uma panóplia, apenas os essenciais: esfoliante, óleo e um creme ou máscara corporal hidratante. Claro que se quiserem posso partilhar convosco outros tratamentos que podemos fazer em casa, mas começaremos pelo mais simples: fazer uma esfoliação total no corpo e hidratá-lo.

NOTA: coloquem uma toalha na cama onde vão deitar-se só para não empastarem tudo, just saying.

O esfoliante que mais gosto não é novidade para vocês aqui, é da Rituals Ayuverda Body Scrub, porque tem tudo o que é preciso: deixa a pele como seda, e tem um aroma único que nos deixa relaxadas como nunca. Como não vamos fazer este tratamento na banheira, mas sim na nossa “marquesa improvisada” este produto funciona perfeitamente, pois é oleoso o suficiente para esfoliar a pele sem esta estar húmida. Se ainda assim tiverem dificuldade em espalhar o produto, tenham ao vosso lado borrifador com água que ajudará e muito neste processo. Massagem todo o corpo em movimentos circulares para obterem um melhor resultado. É normal a pele aquecer e ficar levemente avermelhada, sinal que está a ser ativada. Depois de massajarem todo o corpo, deixem repousar cerca de 10m e o aroma deste produto fará o resto por si.

Depois terão de se passar por água para retirarem os grãos do esfoliante. Seguidamente vamos começar o processo de hidratação. Aconselho um creme muito hidratante pois a pele estará mais disponível que nunca para ser hidratada. Apliquem uma quantidade generosa e voltem a relaxar por 10 minutos até todo o creme ter sido absorvido pela pele.

Por fim, e isto é só para quem gosta, vamos aplicar um óleo seco que nutra  a pele. Hoje os óleos “secos” são ótimas opções, pois não deixam a pele excessivamente gordurosa. Apliquem em toda a pele massajando sempre em movimentos circulares. Podem aproveitar para massajarem o corpo, estimulando a absorção do produto pela pele. Deixem-se relaxar mais uns minutos. Quando se levantarem vão sentir-se mais relaxadas e a vossa pele a parecer seda.

Como vêem tudo é possível desde que queiramos.

blog_signature

“Piquenique” de novidades

Na semana passada comecei a usar novos produtos de cuidado de rosto. Claro que ainda não tenho uma opinião muito fundamentada, mas para já so far so good. Já eu não fazer reação é bom sinal, porque ultimamente a minha pele tem andado particularmente sensível e reativa.

Minéral 89 Vichy, um concentrado rico em água mineralizante e ácido hialorónico. Ótimo para reforçar os níveis de hidratação e as defesas naturais da pele todas as manhãs. Gosto de aplicá-lo com água termal e uso-o quase como um sérum, uma vez que a seguir aplico um creme de olhos e de rosto.

Nos meus momentos semanais de SPA caseiro incluí dois novos produtos, ambos da Mary Kay: máscara Botinical Effects e máscara renovadora Timewise. A primeira é de limpeza e esfoliação e a segunda de hidratação. Admito que estava com receio da máscara de limpeza, pois a última que tinha utilizado do género, de uma outra marca, deixou-me a pele super irritada. Mas a primeira utilização já passou e correu tudo bem.

Por úultimo, conheci mais uma marca de cosmética portuguesa, a Dvine. Fiquei muito feliz porque vejo surgirem cada vez mais marcas portuguesas a apostarem em cosmética de qualidade o que é uma ótima notícia para nós e para o mercado. Esta marca está ligada com o vinho (há coisa mais portuguesa que isto?), pois buscar todas as coisas boas à uva: antioxidantes, óleo de Grainha de Uva Bio, resveratrol, vitamina E, entre outras coisas boas para a pele. Estou a utilizar o creme de dia deles e gosto da textura e aroma. Veremos o que a continuidade traz de benefícios à minha pele.

Como já é hábito, dos produtos que eu gosto mesmo farei reviews mais aprofundados quando fundamentar a minha opinião e começar a ver as mudanças na minha pele. Ok?

E vocês? O que têm usado de novo?

Addio

blog_signature