Como ser feliz num dia de terror.


Estas fotos são da fotógrafa April Maciborka que fotografou vários bebés a experimentar pela primeira vez um limão. Hilariante!

Eu não gosto de me levantar cedo. Cedo tipo 4h30 da madrugada é um verdadeiro terror para mim. Não me crucifiquem cada um com a sua pancada!

Entro no modo-tudo-está-mal: não aproveito a noite anterior porque só penso nas horas loucas a que acordo no dia seguinte; tenho medo de não acordar a horas e por isso acordo 300 vezes durante a noite; e depois o despertador toca e tu pensas que vais ter o pior dia de sempre porque tens um dia de trabalho de 20h à tua frente, a 350km de casa.

Portanto temos todo um cenário idílico do que é a vida do herói, que sofre na pele o que é viver.

Só que não tem de ser sempre assim. Os nossos dias não tem tem de estar condenados quando temos dias destes. E se vocês são daquelas pessoas que acordam às 4h felizes e contentes, então se calhar nada do que estou aqui a escrever faz sentido para vocês! Então desafio-vos a enviarem isto a alguém que sofra como eu, boa?

Continuando…

A verdade é que dois dias desta semana tive de madrugar e experimentei aquilo que se chama mudança-de-paradigma. Contrariei os maus pensamentos (a conhecida birra matinal) e troquei-a por um pensamento básico, “vamos lá fazer destes dias (condenados) coisas boas”.

Claro que do falar a acontecer vai muito. Mas acreditem que após esta decisão seguiu-se um conjunto de pequenas boas decisões que me foram animando e acabei por transformá-los em dias de criatividade aos píncaros e muitas coisas boas. 

Às vezes, quando não temos nada bom em que pensar, ou quando o nosso pensamento só nos leva a pensar em coisas más, um bom truque é sentarmo-nos num sítio que nos acalme e comtemplarmos a perfeição da natureza e do que nos rodeia. Faz toda a diferença.

Vivemos numa sociedade alucinante onde tudo passa a voar, o bom e o mau. Esquecemo-nos demasiado rápido das coisas boas e não retemos aprendizagens das coisas menos boas. Isto leva-nos a tornarmo-nos mais ingratos e imaturos. 

Como podemos contrariar isso? Parando. Às vezes, por breves instantes, e contemplarmos as maravilhas que nos rodeiam.

Ficava bem agora referenciar um daqueles estudos cheios de dados estatísticos, que justificam tudo o que tenho estado aqui a escrever, mas não tenho. Tenho sim o meu exemplo. 

Em dois dias trabalhei 40h. Mas estive em sítios lindos, com vistas maravilhosas. Tive ideias (ou seja, tive tempo para pensar), e consegui fazer coisas que queria há muito tempo e não tinha conseguido.

Nós podemos decidir o quão maus são os nossos dias. 

Se a vida te dá limões, faz limonada. O truque para ser feliz, para mim, é isto mesmo, sê grat@ pelas coisas pequenas e apaixona-te pela vida.

Felicidade não é um estado, nem consequência da vida, é uma decisão diária é um estilo de vida.

Espero que faça sentido para vocês. Estou a escrever isto em pleno Alfa Pendular Porto-Lisboa. Até aqui vocês estão comigo!

Obrigada por me ouvirem e estarem desse lado.

❤️

Anúncios

Autor: Ana Aurélio

Creative and in love with people.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s