Sheet mask que nos esvaziam a carteira, mas que mudam a nossa pele.

Quando se fala em sheet mask pensa-se logo em tratamento barato e instantâneo. Esta era uma realidade, mas a verdade é que estes tratamentos evoluíram imenso, e hoje em dia temos cada vez mais máscaras que podem ser mesmo bem mais caras e produzir resultados incríveis a curto e médio prazo. Basicamente tudo aquilo que o público gosta as marcas esmiuçam até ao tutano, criando mil e uma versões desse mesmo produto, da versão mais barata à mais cara, com o objetivo de nos ver felizes (esperamos nós) e vender muito (a realidade).

Eu, que já devo ter testado máscaras de meio mundo, tenho vindo a pesquisar sobre o que fazem verdadeiramente, as melhorias que acrescentam ou nem por isso, as que têm efeitos instantaneos e as que são mais duradoras. As sheet masks, por mais potentes que sejam nunca serão um produto de fundo na nossa linha de tratamento. Serão sempre muito mais orientadas para um resultado mais imediato, ainda que possa fazer parte de um tratamento completo.

Hoje partilho convosco duas máscaras que, na minha opinião, se distinguem das demais, porque acabam por ter resultados distintos e mais profundos que quaisquer outras que eu tenha utilizado. Os preços não são convidativos, mas deixaram a minha pele incrível, preenchida e mega hidratada.

The OOZOO, Hydro Lift. Esta máscara compra-se na Sephora e custa cerca de 9€. Tem uma aplicação super original porque o líquido “mágico” está numa seringa que depositamos dentro da sheet mask até esta ficar embebecida e poder ser colocada no rosto. A pele fica in-crí-velllllllll. Luminosa e resplandecente. Dá vontade de repetir esta máscara todas as manhãs só para me sentir linda e maravilhosa.

Bio-Cellulose Mask Timewise Repair, da Mary Kay. Se a outra é cara este rebenta a escala: vendem-se em caixas de 4 máscaras e custa 85€ (sim é verdade!). Agora não comparem esta máscara às demais. A pele fica transformada dias e com um toque incrível. Esqueçam qualquer ideia que tenham do que é ficar com a pele radiante, porque quando experimentarem esta máscara vão perceber a verdadeira diferença entre o que é médio e o que é de topo. Quando a aplico toda a gente me pergunta se coloquei iluminador na pele toda, porque a minha fica mesmo espectacular! Vale tanto a pena, nem imaginam!

Anúncios

Como comprar perfumes de marca aos preços mais baixos? Eu sei como!

Quem gosta de comprar o que quer, aos melhores preços, que levante a mão se faz favor! Pois bem, já vos tinha falado deste site (há muito tempo, é verdade), e dos preços maravilhosos que tem. É nada mais, nada menos que o site da Perfumaria Primor, uma loja espanhola que tem os melhores preços do mercado a tudo (ou quase tudo).

Pois bem, eu andava a namorar este perfume, Yes I am da Cacharel, nas nossas perfumarias há algum tempo, mas ficava sempre indecisa porque perfumes não me faltam e o preço para 30 ml era de 49,90€, o que não me apetecia gastar. Estão a ver aquela ideia de para dar este dinheiro por um perfume prefiria comprar outra coisa que me fizesse mais falta (como se eu tivesse falta de alguma coisa efetivamente). E lá fui adiando.

No final da semana passada dei uma volta numa perfumaria e vi que estavam com 20% de desconto, mas ainda assim o preço não mudava mais que 10€. Então lembrei-me do site da Primor e imaginem, o perfume lá custa 29,90€, ou seja menos 20€ que em qualquer perfumaria no nosso país. Dá para imaginar esta diferença? Mas as coisas boas não ficam por aqui: a encomenda chegou em menos de 72h úteis, com entrega gratuita por transportadora, notificação por email para sabermos sempre onde anda a nossa encomenda, e têm, ainda, a opção de pagamento à cobrança sem o acréscimo de qualquer valor. Se quiserem, ainda, acrescentar às coisinhas boas, os produtos vêm super bem acomodados e ainda com uma amostra oferta a acompanhar.

Desafio-vos a encontrar um perfume que seja mais caro neste site que numa perfumaria portuguesa!

blog_signature

Recentemente partilhei um artigo em que expliquei o porquê de ter deixado de usar base diariamente. E, de facto, esta não foi uma mudança isolada, e a verdade é que foi mais um reflexo de algumas decisões que fui tomando nos últimos anos. Ser maquilhadora não significa (e já falei sobre isso) estar todos os dias maquilhada com as últimas tendências e técnicas inovadoras. Significa sermos profissionais habilidosos que “lêem” rostos e em cada maquilhagem que fazemos destacarmos o que cada rosto tem de melhor. Por este motivo é, para mim, completamente irreal ter a pressão de andar diariamente maquilhada, só para mostrar o que sei fazer. Claro que tenho os meus apontamentos, as minhas sobrancelhas levam sempre um apontamento e adoro máscara de pestanas, mas isso não significa andar muito maquilhada.

mark-adriane-259950-unsplash

Photo by MARK ADRIANE on Unsplash

À medida que vamos crescendo (ou envelhecendo, depende da perspectiva) há pontos de vista que se alteram, e estas percepções vão-se reproduzindo em decisões e ações que mudam o rumo da nossa vida.

Uma das minha maiores decisões foi decidir dar zero de importância ao que me faz mal e prejudica (pessoas, atitudes, o que for) e valorizar mais as coisas pequenas e consequentemente as grandes. Ah e tal todos dizem isso… sim, é verdade, e fazer? Dá um trabalho dos diabos. Mas a verdade é que embora não o consiga sempre, vou conseguindo na maioria das vezes e, para mim, isso já é uma vitória. Não podemos evitar os problemas e dificuldades na vida, mas de certeza que podemos decidir o impacto que isso tem na nossa vida. Admito que no início não consegui fazer nada disto, mas com o passar do tempo consegui pequenas vitórias que me ajudaram a tomar decisões muito importantes na minha vida. E, de repente, aquilo era muito mau e grave, tornou-se muito menos importante e muito mais relativo, deixando espaço na minha mente para o que era verdadeiramente importante. Valorizar uma viagem de carro por um caminho alternativo e aprecisar a paisagem, tomar um chá num pôr-de-sol, uma tarde de brincadeira com as crianças da minha vida, jantar no chão da sala com a minha companhia favorita são coisas que valorizo muito mais hoje. Nós não precisamos tanto de coisas, mas precisamos muito mais de relações e momentos que nos façam felizes.

Esta é só uma pequena parte do que é valorizar as coisas pequenas. A vida é rica em pequenos momentos de felicidade. No entanto, nós só preseguimos os grandes e raros momentos de felicidade, por pensarmos que isso sim é a felicidade. Mas isso só faz com que sejamos menos vezes felizes, e vivamos a vida inteira em busca de ser feliz, quando ela esteve sempre ao nosso lado, sem que tenhamos dado por ela.

É só para mim que isto faz sentido? Gostava de ouvir as vossas opiniões.

blog_signature

Cabelo espanador: a luta continua!

Lembram-se do meu dilema com o cabelo espanador? Pois bem continuamos na luta! Entretanto dei-lhe um valente corte e intensifiquei os meus cuidados diários. Percebi que não estava a fazer o suficiente e que precisava procurar mais produndamente o que lhe fazia realmente falta. Muitas vezes limitamo-nos a uilizar os produtos de mais se fala e, por vezes, isso não é suficiente, porque os produtos não resultam da mesma forma para todos. É otimo seguir conselhos de quem sabe, mas precisamos testar e tirar as nossas próprias conclusões.

Por isso, precisei procurar mais fundo e perceber o que precisava o meu cabelo: hidratação. Mas não valia tudo, porque eu detesto o cabelo colado à cabeça, e quando se fala de cabelo hidratado o resultado mais comum é cabelo lambido.

Percebi que fórmulas mais naturais ajudam e aos poucos fui acertando até chegar à minha rotina diária do momento, sem demasiados produtos, apenas eficaz.

Comecemos por champô. Eu gosto sinceramente desta ideia da Yves Rocher I<3myPlanet. Gosto dos produtos, já usei gel de banho de aromas maravilhosos e este champô (Champô concentrado, para todos os tipos de cabelo), e a ideia destas embalagens compactas é uma ótima. Eu que tenho inúmeros produtos no banho, se todos forem gigantes não há espaço para nada. A ideia de ajudar o ambiente é sempre um ponto a favor. Este champô é super agradável, e deixa-me o cabelo solto, ou seja, não o deixa demasiado “mole”, sem que isso signifique deixá-lo demasiado crespo. É um equilibrio perfeito.

Como máscara, tenho adorado a Hair Food da Fructis de Macadamia. Amo o aroma, o meu cabelo adora o “alimento” e estamos felizes! É um produto sensacional, com uma hidratação que não pesa mas que se sente. Adoro deixar o cabelo secar ao natural e o aroma que fica no cabelo é delicioso. Encontram este produto em qualquer supermercado. Uma dica muito importante: escorram muito bem o cabelo antes de aplicar e deixam-na ficar o máximo tempo possível no banho.

Por fim o óleo. Óleo? Como assim? Mas não disseste que gostavas de leve? Sim, disse e é possível usar um óleo no cabelo sem este pesar, basta escolher acertadamente. O que mais tenho usado nesta altura é da OGX Nourishing Coconut oil. Cheira verdadeiramente a côco e é uma delicia. Combina leite, óleo de côco e proteína de albumina (contém biotina que ajuda a um cabelo saudável). É um óleo mais fluído e não pesa, mas nurtre e amacia as pontas do cabelo. O aplicador é em spray, o que me permite direcionar melhor a aplicação. Esta marca é só deliciosa. Conheci-a nos EUA e a agora que a temos por cá (exclusiva Continente) fico muito feliz!

E vocês, o que têm usado?

blog_signature

Porque é que deixei de utilizar base?

Eu própria pensei bastante no porquê, porque na verdade acho que acabou por ser uma decisão muito natural. Tudo começou coma reação esquisita que a minha pele teve e precisei andar com a pele “nua” durante uns dias. Primeiro estranha-se porque estamos dependentes daquele resultado flawless, e aos poucos comecei a habituar-me a ver a minha pele ao natural, e não desgostei assim tanto. Na verdade é tanto investimento na pele para tê-la sempre escondida? Não fazia sentido até porque sou uma sortuda e tenho uma pele super equilibrada.

Claro que não me tornei uma fundamentalista, porque sempre que preciso de uma maquilhagem mais requintada recorro às minhas bases favoritas. Mas faz-me pensar nas minhas motivações no que toca ao uso da maquilhagem. Ter boa maquilhagem é ótimo, mas cuidar da nossa pele é o que verdadeiramente traz mudança.

Tenho utilizado um produto que tenho gostado imenso, CICAPAIR, da Dr. Jart, porque não sendo maquilhagem acaba por uniformizar a minha pele, além de a hidratar (sim, porque é um creme hidratante!) e proteção solar com SPF30. O irónico deste produto é que se ajusta a todos os tipos de pele, e quando digo todos, é mesmo todos. Li inúmeros reviews antes de o comprar, e todos eram concordantes com a capacidade quase milagrosa de se adaptar aos inúmeros tons de pele que andam por este mundo. Como fazem isto? Não faço ideia, mas com a cosmética coreana é isto, eles rebentam sempre a escala! Sendo um creme e correspondendo desta forma, é um produto que recomendo muito. Não é muito barato, mas aconselho-vos a comprarem o tamanho mais pequeno e experimentarem o produto, até porque a Sephora nem sempre tem tester nas lojas. Não se assustem quando experimentarem pela primeira vez o produto porque parece uma pasta meio espessa, e é preciso espalhar bem pelo rosto, mas o resultado final vale a pena. Pele linda e protegida é o que se quer todos os dias.

blog_signature